Dia da Consciência Negra é marcado por esperança e muita resistência

Publicado em 21/11/2022 10:20

Tamanho da fonte:

A CTB e o Sintaema participaram neste domingo (20) da 19ª Marcha da Consciência Negra foi marcada, em São Paulo, que se concentrou foi no Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista, com caminhada até as escadarias do Teatro Municipal e teve como tema “Por um Brasil e São Paulo com Democracia e Sem Racismo”.

O ato foi organizado pelo movimento negro e organizações antirracistas ocuparam ruas da capital paulista. A concentração foi no Museu de Arte de São Paulo (Masp), na Avenida Paulista, com caminhada prevista para as escadarias do Teatro Municipal, no centro da cidade, onde foi fundado o Movimento Negro Unificado (MNU) em 1978, sob o regime da ditadura militar.

Na rua, os participantes da marcha expressavam seu alívio, pela vitória de Luiz Inácio Lula da Silva para presidente no dia 30 de outubro, e deixaram claro a atmosfera de esperança para o combate às desigualdades e à violência que explodiram nos últimos 6 anos.

No ato em São Paulo os manifestantes também externaram sua preocupação com o governador eleito de São Paulo, o bolsonarista Tarcísio de Freitas, que ganhou a eleição com promessas de militarização da educação e privatização dos serviços públicos. Entre as empresas que já estão na mira de Freitas está a Sabesp.

Sobre a data

Desde 2003, o Brasil celebra o Dia da Consciência Negra. Somente em 2011, a então presidenta Dilma Rousseff sancionou a Lei 12.519 que instituiu oficialmente a data como feriado.

Porém, pelo Brasil, somente em 1.260 cidades brasileiras, onde as Câmaras locais aprovaram leis regulamentando a decisão, inseriram a data como feriado. Recentemente, o Senado aprovou um projeto de lei que torna o Dia Nacional da Consciência Negra feriado nacional. A decisão ainda tem de passar pela Câmara Federal e ser sancionada pelo presidente da República.

Com informações da RBA

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo