Entre 2021 e 2022, assassinatos no campo cresceram 75%

Publicado em 02/08/2022 15:23

Tamanho da fonte:

Homenagem, novembro de 2017, aos assassinados no campo por conta da madeira ilegal em frente o Congresso Nacional, em Brasília. Foto: Adriano Machado

Para frear o avanço brutal da violência no campo, 33 organizações e movimentos sociais lançaram, nesta terça-feira (2), a “Campanha contra a violência no campo: em defesa dos povos do campo, das águas e das florestas”.

Durante o lançamento, os presentes alertaram para a explosão de mortes e ataques e citaram o último levantamento da a Comissão Pastoral da Terra (CPT), que indicou que nos últimos dois anos os assassinatos cresceram 75% e o trabalho escravo, 113%.

O levantamento da CPT evidencia ainda que a maioria das 5,5 milhões de pessoas afetadas pelos conflitos em áreas rurais está na região da Amazônia Legal e pertence a comunidades indígenas, quilombolas, ribeirinhas e camponesas.

No ano passado, a CPT contabilizou 35 assassinatos por conflitos no campo, sendo 28 na Amazônia. Já em 2022, até o mês de julho, 22 assassinatos já foram confirmados pelo setor de documentação da CPT. Outros 10 estão sendo checados.

Com informações da Rede Brasil Atual

 

 

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo