Sabesprev

Publicado em 31/03/2008 00:00

Tamanho da fonte:

Na reunião realizada último dia 19, o diretor financeiro fez exposição junto com a auditoria contratada sobre o balanço financeiro de 2007, onde se destaca deste balanço a excelente performance financeira, o que inclusive possibilitou uma queda acentuada do déficit técnico atuarial do plano previdenciário, que fechou 2007 em R$ 319 milhões, bem abaixo do de 2006 (R$480 milhões). Os conselheiros eleitos destacaram e insistiram que, apesar de aprovado o balanço, a patrocinadora deve equacionar o problema do déficit técnico assumindo a sua totalidade, pois os participantes não têm como arcar com parte deste custo. Nesta reunião também foi apresentado o resultado final elaborado pelo grupo de trabalho composto pelos sindicatos e aposentados sobre os planos de saúde. Conforme já informado, os planos dos aposentados estão em uma situação crítica há muito tempo, apresentando constantes déficits que vêm sendo cobertos com as reservas do Plano Pleno. Ocorre que a partir deste ano, por determinação legal da Agência Nacional de Saúde-ANS, não poderá mais haver repasse de receita de um plano para outro, todos os planos terão que serem superavitários e constituir reservas, caso contrario, não poderão continuar existindo. Nas reuniões realizadas no grupo de trabalho foi proposta a construção de dois novos planos: executivo (apartamento) e padrão (enfermaria), com uma rede mais simples e preços um pouco menores. Mas mesmo com toda a tentativa de reduzir valores, os preços continuam altos, visto que a massa de pessoas para dividir a conta está diminuindo e a idade média é alta. Apesar de aprovar a implantação destes planos, os conselheiros sugeriram que a Fundação e a SABESP façam mais estudos e pesquisas sobre a possibilidade de o ativo continuar no Plano Pleno, quando da sua aposentadoria, e sobre a possibilidade do ativo contribuir de forma voluntária (sabendo que não há garantia nenhuma de continuidade futura dos planos) para criar reservas para os aposentados e assim diminuir os custos. A Sabesprev vai iniciar a elaboração de regulamentos e solicitar autorização aos órgãos responsáveis para oferecer os novos planos. Todo esse trâmite deve demorar alguns meses, e a Sabesprev espera implantar os planos até março de 2009. Os conselheiros eleitos sempre afirmaram que a melhor solução para esta situação seria a empresa subsidiar ou ajudar na constituição de reservas para os aposentados, mas o governo do Estado e a SABESP não têm dado importância para a questão. Independente do modelo a ser adotado, é importante, na campanha salarial, insistir para que a Sabesp valorize de fato aqueles que ajudaram a construir esta empresa, criando um subsídio para os aposentados.

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo