Protesto pelo adicional de insalubridade

Publicado em 31/03/2008 00:00

Tamanho da fonte:

Com uma postura arbitrária e unilateral, a Sabesp, através da CR, vem retirando o adicional de insalubridade dos companheiros que estão inseridos na condição de trabalho caracterizada intermitente. Segundo a CR, a intermitência está restrita aos pólos de manutenção, mas existem outras áreas onde os trabalhadores estão expostos a agentes químicos e biológicos de forma intermitente. Primeiro, a Sabesp corta o adicional sem laudo técnico, apenas com uma simples movimentação no plano de carreira, alegando que a culpa é do Sistema Anthares, e depois, não restabelece o pagamento de adicional de quem sofreu o prejuízo, dizendo ser preciso ter o laudo técnico. Uma contradição! Esse lamentável episódio está sendo vivido pelos trabalhadores da Vila dos Remédios, no almoxarifado de inservíveis, onde os trabalhadores manipulam todo tipo de material inservível, como tubulações de água e esgoto antigas, tampões de PV, contêiner de produtos químicos oriundos de ETAS e ETES, e sinistros provocados por redes de água e esgoto, entre outros. Mesmo expostos a essas condições, os trabalhadores tiveram seus adicionais cortados. Em reunião com a CR, o Sintaema teve a informação de que a empresa possui um laudo dizendo que os trabalhadores não têm direito ao adicional de insalubridade, mas o laudo não teve acompanhamento do sindicato e nem foi apresentado na reunião, portanto, o Sintaema desconhece o mesmo. O sindicato buscará, inclusive na justiça, se preciso for, este direito dos trabalhadores, inclusive por melhores condições de trabalho, pois o que a Sabesp está fazendo é um desrespeito aos mesmos, visto que a própria empresa reconhece a intermitência na área da Vila dos Remédios.

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo