Sintaema debate luta contra o racismo na ETE Barueri

Publicado em 08/12/2022 08:23

Tamanho da fonte:

Ainda como ação pelo Dia da Consciência Negra e com o objetivo de reforçar a luta contra o racismo, a direção do Sintaema promoveu roda de conversa com os trabalhadores da ETE Barueri, nesta quarta (7).

Para a atividade, o Sindicato convidou Ederaldo Nascimento, o Deco, que é compositor, escritor, professor e trabalhador da Sabesp no polo de Osasco. Deco, que também é membro do movimento negro, palestrou sobre as dificuldades encontradas pela classe trabalhadora e pelo povo negro, a exclusão social, a marginalização e o racismo estrutural que perdura até os dias de hoje.

Durante o bate-papo, o professor também ressaltou que “as lutas devem ser cada vez mais unificadas, em torno de bandeiras bem construídas, a exemplo do processo eleitoral que tinha como prioridade a derrota de Jair Bolsonaro”, afirmou ao destacar que, além do racismo, a população negra sofre com o desmonte das políticas sociais.

Durante a palestra também foi falado sobre as dificuldades que enfrentam a classe trabalhadora e a grande quantidade de pessoas que hoje sofrem com a insegurança alimentar e a fome no país.

Deco também destacou a importância da luta pelo saneamento público que extrapola a questão do emprego.
“Para muitos a defesa do saneamento público é vista apenas como a defesa do emprego. Sim, isso é verdade, mas sabemos que se o Estado não garantisse saneamento para todos as populações mais vulneráveis, em especial a população preta, não teriam acesso a esse direito. Isso é o que chamamos de racismo ambiental”, afirmou.

Sabesp na mira de Tarcísio

Durante o debate também foi falado o que representa a eleição de Tarcísio de Freitas para São Paulo. “A composição do novo governo do Estado de São Paulo mostra que áreas tão importantes serão duramente desmontadas. E a Sabesp já está na mira de Tarcísio”, alertou o palestrante.

Ele criticou os governos Rodrigo Garcia e Jair Bolsonaro e lembrou que essas experiências refletem o pior para o país com forte impacto para as nossas crianças. O que, sem dúvidas, compromete as gerações futuras. Um cenário de exclusão geral que o negro brasileiro conhece muito bem.

Por fim, os participantes da roda de conversa parabenizaram o Sintaema pela iniciativa de realizar a atividade e trazer para a reflexão temas atuais, de modo a contribuir para que a categoria contribua com a luta para uma sociedade plural, justa e solidária.

Sintaema na luta contra o racismo e toda a forma de violência.

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo