Capitalismo selvagem | Privatização: CEDAE será entregue em novembro

Publicado em 15/10/2021 13:13

Tamanho da fonte:

Alteração do marco regulatório do saneamento escancarou as portas do setor à iniciativa privada

Mesmo depois de toda a luta empenhada pelos nossos companheiros e companheiras do Sintsama-RJ, os Blocos 1 e 4 da CEDAE serão entregues privatizados já em 1º de novembro.O arremate foi feito pelo Grupo Aegea,

O anúncio foi feito ontem (14) pelo governador do Rio de Janeiro. A data prevista anteriormente era fevereiro de 2022.

E o desmonte não para por aí. Em 29 de dezembro será o leilão do Bloco 3, que envolve 20 municípios.O Sintsama ingressará na justiça para barrar essa nova privatização, além de gestões junto a parlamentares para tentar impedir mais essa entrega deslavada do patrimônio público à iniciativa privada.

Será com a nossa união que vamos denunciar esse governo entreguista e lutar incansavelmente para barrar a privatização do Bloco 3. Água é direito de todos, não é mercadoria! CPI da concessão da CEDAE já!”, disse o presidente do Sintsama-RJ, Humberto Lemos Presidente, em nota no site do sindicato.

Sintaema está junto na luta

Em março deste ano, no Dia Internacional da Água, o Sintaema esteve no ato junto com os trabalhadores da CEDAE contra a privatização da Companhia, além de outras lutas conjuntas em defesa das empresas estaduais de saneamento e da água como um bem público.

A concretização do processo de privatização da CEDAE já é feita sob a nova legislação aprovada recentemente que modificou o marco regulatório do saneamento, no claro objetivo de acelerar as privatizações”, frisou o presidente do Sintaema, José Faggian.

O presidente do Sintaema ratifica a iminência da precarização das relações trabalhistas com a privatização das empresas públicas.

É interessante notar que o processo de privatização além de piorar a qualidade dos serviços, o que com certeza acontecerá, também já se reflete na relação dos trabalhadores com a empresa privada. Segundo os companheiros do Sintsama, os novos contratados sob a CEDAE privatizada ganharão em média 1/3 dos salários dos atuais trabalhadores, além da exploração de contratos precarizados de terceirizações”, finalizou Faggian.

O Sintaema é solidário aos trabalhadores e trabalhadoras da CEDAE do Rio de Janeiro e está junto na luta contra a entrega do saneamento público à iniciativa privada, assim como o governo de São Paulo vem tentando fazer com a nossa Sabesp.

Companheiros, contem conosco, estamos juntos!

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo