Terceirização: corredor da morte

Publicado em 21/06/2010 00:00

Tamanho da fonte:

Em 7 de junho um trabalhador morreu soterrado em uma vala de uma obra realizada por uma empresa terceirizada a serviço da Sabesp, em Rio Grande da Serra. O Sintaema esteve no local e constatou que a vala, com aproximadamente 3 metros de profundidade, não tinha escoramento. Sem escoramento e sem fiscalização, mais uma vida se foi devido à vista grossa que a Sabesp faz com as terceirizadas. O Sintaema continuará denunciando as terceirizações descontroladas que a cada dia fazem mais vítimas, além de deixar, muitas vezes, a população na mão.

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo