Fura-greve: subserviência maléfica

Publicado em 10/05/2010 00:00

Tamanho da fonte:

A greve teve boa adesão, apesar de uma parte dos trabalhadores ter entrado na empresa durante o movimento, mesmo diante de uma reivindicação justa e da qual o resultado também os afeta. Essa subserviência é maléfica, e é lamentável que esses trabalhadores que furam a greve não tenham consciência de que estão prejudicando a si próprios e aos demais companheiros que lutam corajosamente pelo coletivo. Houve até um local em que durante a greve os trabalhadores se reuniram, fizeram uma votação e decidiram entrar para trabalhar. Esta postura não esconde o fato de terem furado greve, pois a decisão de entrar ou não é tomada na assembleia, onde o Sintaema oferece todas as condições para que o trabalhador participe, opine, tudo de forma democrática. Portanto a assembleia é o fórum máximo de decisão da categoria e seu encaminhamento deve ser respeitado por todos. Trabalhadores que não aderem ao movimento acabam dando munição à cúpula da Sabesp para que a mesma os ataquem cada vez mais, que reprimam seus atos e os mantenham em seu controle. Se conseguimos avançar foi graças à luta, ao movimento paredista feito pelos trabalhadores que não tiveram medo de ir em frente em defesa de seus direitos e conquistas, pois somente com união e mobilização podemos alcançar os objetivos. A campanha salarial está aí e é muito importante que os trabalhadores reflitam sobre isso, mantendo a unidade. O Sintaema parabeniza os companheiros e companheiras que se mobilizaram em suas áreas e a todos que estiveram nos atos da Costa Carvalho. Vale dizer que o movimento foi repercutido nos principais jornais e emissoras de rádio e TV da Capital e Interior. Agradecemos o apoio e a solidariedade dos companheiros Nivaldo Santana, vice-presidente da CTB, e Flavio Godoy, dos Metroviários.

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo