Lula recebe o Sintaema e o movimento sindical em Brasília

Publicado em 19/01/2023 15:30

Tamanho da fonte:


Nesta quarta-feira (18), o Sintaema e a CTB, juntos ao movimento sindical brasileiro, foram recebidos pelo presidente Lula no Palácio do Planalto, em Brasília, para uma conversa sobre o futuro da classe trabalhadora e seu papel no governo que se inicia.

O presidente nacional da CTB, Adilson Araújo, expos a importância da valorização do salário-mínimo nacional, diferentemente do que aconteceu no governo anterior, que não recompôs sequer as perdas inflacionárias do período. “É fundamental que o mínimo seja garantido e que seja periodicamente reajustado acima da inflação”.

No Brasil, segundo dados da PNAD contínua do IBGE, 37% das trabalhadoras e trabalhadores brasileiros recebem até um salário mínimo e 70%, no máximo, 2 salários mínimos por mês. O mínimo também é fundamental para os beneficiários do INSS, sejam para os pensionistas, aposentados ou para quem recebe outro tipo de benefício. Hoje, 80% desses benefícios/aposentadorias são de um salário mínimo, o que soma quase 30 milhões de pessoas.

Se considerarmos que, devido a situação econômica do país e ao alto índice atual de desemprego, esses beneficiários/aposentados contribuem de forma significativa para o orçamento da família, ou até mesmo são responsáveis por sustenta-lá, e ainda se considerarmos que a família média brasileira é composta por 4 pessoas, estaremos falando de um universo de 120 milhões de pessoas atingidas, ou seja, metade da população brasileira se beneficia diretamente com a valorização do salário mínimo.

O mínimo também é referência para os demais salários que estão acima dele, ajudando a alavancar toda a massa salarial do país. É importante salientar que, diferente de isenções e de outros mecanismo de “fomento” econômico, o salário mínimo é gasto integralmente por quem o recebe, dinamizando, assim, a economia “real”, incrementando a produção, gerando empregos e retornando, inclusive, para os cofres públicos na forma de tributos e impostos.

Durante o encontro, Lula enfatizou a importância do movimento sindical na construção de políticas públicas que atendam aos interesses da classe trabalhadora e conclamou o movimento a participar da gestão trazendo propostas, mas, mais do que isso, frisou a importância da pressão da classe trabalhadora para trazer o governo para a direção que melhor lhe atenda, deixando evidente a característica do governo, que é de frente ampla e em disputa por múltiplos setores da sociedade.

O presidente atentou para a importância do movimento sindical reocupar os espaços nos locais de trabalho e de se reaproximar do dia a dia e da vida real dos trabalhadores e trabalhadoras, para que esses se sintam de fato representados. Além disso, ressaltou a importância de se debater a realidade das novas formas de relação de trabalho geradas pelas mudanças tecnológicas dos últimos tempos, situações como teletrabalho e trabalho por aplicativo, por exemplo, que demandam regulamentação legal e organização das categorias na busca por direitos e melhores condições de trabalho. Ademais, reassumiu o compromisso de fortalecer os sindicatos e de fazer um governo de combate à fome e à desigualdade social.

Nós do Sintaema, juntamente com a CTB e o movimento sindical brasileiro aceitamos o “convite” feito por Lula e estaremos, seja dentro dos locais de trabalho ou seja nas ruas, lutando para pressionar o governo para que atenda as pautas da classe trabalhadora, em especial a dos trabalhadores e trabalhadoras do saneamento e do meio ambiente!  

Juntos na Luta!

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo