Coronavírus: queda no isolamento pode levar ao “lockdown” em São Paulo

Publicado em 13/05/2020

Tamanho da fonte:

Teremos 53,5 mil novos casos diários de covid-19 no Estado até o final de junho se o isolamento social não for mais rígido, é o que apontam os estudos da Unicamp, de acordo com matéria da Rádio Brasil Atual.

O estudo da Unicamp indica a urgência do lockdown como única medida efetiva para se diminuir os números, e que inclusive as projeções podem estar subestimadas, uma vez que o isolamento em São Paulo está caindo desde o começo de abril, é o que afirma o professor do Instituto de Geociências da Unicamp e coordenador da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Renato Pedrosa.

No lockdown (confinamento) a circulação fica proibida, exceto para compra de alimentos, transportar doentes ou realizar serviços de segurança.

Em São Paulo já está em acima de 80% o nível de ocupação de leitos de UTI e o quadro é crítico. “Se o isolamento (voluntário) não for ampliado urgentemente, o Estado terá de adotar medidas mais drásticas de contenção, como ocorreu na Itália, ou a situação se tornará insustentável”, afirmou Pedrosa.

Vale lembrar que a taxa de isolamento recomendada pela OMS é de pelo menos 60%, porém em São Paulo o isolamento tem ficado abaixo de 50%. Ainda segundo o professor, os reflexos disso serão sentidos daqui a 15 ou 20 dias com o aumento de casos e mortes.

Infelizmente, indo na contramão da ciência e da recomendação da OMS, o nosso presidente tem colaborado com esse quadro crítico ao fazer afirmações descabidas e irresponsáveis, dando péssimos exemplos com passeios em lugares públicos atraindo aglomerações, incentivo aos protestos e bravatas que somente confundem as pessoas.

Lamentável!

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo