CETESB – Proposta avança, é aprovada e termina a greve

Publicado em 15/06/2016 16:00

Tamanho da fonte:

Depois de muita luta e sete dias de greve trabalhadores da CETESB fecham acordo coletivo com vitória

destaque_acaba_greve_cetestb_15_06_2016Em assembleia cheia no dia 14 de junho em frente à Cetesb, os trabalhadores aprovaram por ampla maioria a proposta feita pelo TRT na segunda audiência entre a empresa e os sindicatos, na manhã do mesmo dia. Depois de exaustivas discussões, a proposta final foi:

-Reajuste de IPC integral de 6,03% a partir de maio/16 e 4% a partir de novembro/16, não cumulativos;
-Reajuste de 10,03% nos benefícios a partir de maio/16;
-Garantia no emprego de 96% e manutenção das demais cláusulas sociais;
-Compromisso da empresa em discutir a eventual implantação do Plano de Cargos e Salários, bem como a PPR, a partir de janeiro de 2017;
-Abono dos dias parados, com exceção de um, na qual a compensação será estabelecida de comum acordo com os sindicatos.

Foram sete dias de greve debaixo de garoa e frio, protestos, duas audiências, três assembleias e muita intransigência por parte da Cetesb/governo estadual. Foram dias de nervosismo e insegurança, ameaças com liminar de multa ao sindicato e telefonemas de quem não entende a importância da greve aos companheiros e companheiras que foram até o fim no movimento.

Mesmo sob toda essa pressão os trabalhadores permaneceram unidos, mobilizados e resistiram à pressão, mostrando que têm valor e sabem lutar pelos seus direitos e conquistas, um exemplo de combatividade.
A proposta rejeitada pelos trabalhadores e que culminou no movimento paredista havia sido de 3,50% de reajuste e diminuição na garantia no emprego de 96% para 94%, ou seja, uma proposta indecente e que não deixou outra saída a não ser radicalizar. Os trabalhadores entraram em greve, houve uma primeira audiência sem sucesso, e a greve continuou sem que a direção da Cetesb avançasse.

Somente na segunda audiência, no dia 14 de junho, depois de toda resistência, a Cetesb acatou a proposta do tribunal.

Os trabalhadores aderiram em massa ao movimento grevista, inclusive os companheiros e companheiras das agências ambientais distribuídas pelo Estado. Esse desfecho foi fruto da luta.
“Não recuamos, mesmo diante de ameaças, porque os trabalhadores mereciam uma proposta digna, e não aquela que a Cetesb desavergonhadamente ofereceu. É uma descaso muito grande do governo estadual com os trabalhadores, em pleno mês onde se comemora o Dia Mundial do Meio Ambiente”, disse o presidente do Sintaema, Rene Vicente.

“Ainda que não seja a proposta ideal, foi um grande avanço perante a primeira proposta. Conseguimos evoluir mantendo todas as cláusulas sociais, a garantia no emprego, item fundamental no momento que vivemos, mediante essa conjuntura adversa, e a reposição da inflação. Os companheiros e companheiras foram exemplares na luta, estão de parabéns”, finalizou o presidente.

Vale ressaltar o apoio de companheiros da Fenatema e da Sabesp, que ajudaram no movimento dos cetesbianos.

Todos juntos na luta!

Contribuição assistencial
Para fortalecer a luta, que continua, os trabalhadores também aprovaram por ampla maioria a contribuição de 1% para sócios e 2% para não sócios, ambos divididos em 2 vezes.

Veja abaixo mais fotos desta conquista:

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo