Vítimas da Terceirização

Publicado em 10/07/2006 00:00

Tamanho da fonte:

A pedido dos trabalhadores, no último dia 28 o Sintaema esteve no canteiro de obras da empreiteira Ipê-Stamag que presta serviços nos Pólos de Manutenção da Mooca e Vila Prudente, onde foram constatadas irregularidades e o não cumprimento da legislação trabalhista. Segundo o Sintaema apurou junto aos trabalhadores, estes são registrados com salários baixos e ganham por fora , de acordo com a produtividade. Outra irregularidade é que os trabalhadores marcam o ponto às 8 horas e quem fecha o mesmo é a empresa, às 18 horas, sendo que os companheiros muitas vezes ampliam a jornada diária em até 14 horas. Além disso, as condições de trabalho no local são péssimas, faltam vestiários adequados e os banheiros estão em estado de precariedade. E o que mais chamou a atenção foi a falta de respeito com que estes trabalhadores são tratados pelos respectivos encarregados. Este quadro nos remete aos primórdios da industrialização, quando a classe trabalhadora não tinha direitos e o som do chicote falava mais alto. Toda esta situação é fruto da terceirização que vem sendo implantada a passos largos pela Sabesp/Governo estadual, que preferem abandonar o tão necessário concurso público em detrimento da precarização das relações trabalhistas. Lamentável!

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo