Trabalhadores recusam proposta e aprovam greve a partir de 1º de junho

Publicado em 23/05/2005 00:00

Tamanho da fonte:

Presença maciça dos companheiros fez com que assembléia fosse realizada na rua No dia 19 de maio, após receberem uma proposta humilhante da Sabesp, os trabalhadores aprovaram em assembléia a realização de greve a partir de 1º de junho por tempo indeterminado, ato de protesto com data a ser definida e nova assembléia no dia 23 de maio. Confira o “oferecido” pela Sabesp: • Reajuste salarial de 4% a partir de 01/05/2005 • Reajuste de 4% no valor do vale-refeição, mantendo-se o critério atual, e o mesmo reajuste no valor da cesta básica, mantendo-se o atual subsídio, com exceção dos que percebem acima de R$ 3.527,90 (já com reajuste de 4%) que terão subsídio de 80%; • Pagamento de dois abonos de 1,9% sobre o salário base mais a gratificação de função se houver, pagos nos meses de setembro e novembro de 2005. • Retirada do valor fixo de R$ 600,00 da gratificação de férias, mantendo-se a CLT • Retirada do adicional de 100% das horas extras, mantendo-se apenas o adicional de 50% para qualquer hora extra. Ou seja, após cancelar as duas reuniões previstas no calendário estabelecido, a direção da Sabesp apresenta uma proposta que, além de não recompor os salários, busca reduzí-los. A assembléia, que mobilizou centenas de trabalhadores em frente à Sede do Sintaema, contou com o apoio de Flavio Godoy, presidente do Sindicato dos Metroviários, categoria também em campanha salarial. Empresa entrou com dissídio de greve Em flagrante desrespeito aos trabalhadores, a direção da empresa, além de cinicamente apresentar a proposta acima, optou por suscitar o Sintaema com dissísio coletivo de greve no dia 18 de maio, no Tribunal Regional do Trabalho, alegando abusividade de uma greve que sequer aconteceu. Frente a este acontecimento, o Sintaema convoca os trabalhadores para a assembléia do dia 23, às 18 horas, na Sede do sindicato.

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo