Trabalhadores não se calaram diante das demissões

Publicado em 16/11/2009 00:00

Tamanho da fonte:

Assembleia aprovou greve por ampla maioria e adesão nas áreas foi exemplar. Sintaema já enviou ofício cobrando uma reunião com urgência. Permanece o estado de assembleia. Em assembleia que lotou a sede do Sintaema os trabalhadores da Sabesp aprovaram por ampla maioria a greve contra as demissões na Sabesp, foram cerca de 140 desligamentos na última semana. No dia 11 diversas áreas foram paradas, com ótima adesão dos companheiros. Os trabalhadores também aprovaram o estado de assembleia permanente e um ato na Avenida Paulista com concentração no MASP e passeata até a Secretaria de Saneamento e Energia, onde seria feita uma nova assembleia para decidir os rumos do movimento. Porém, na mesma noite da assembleia ocorreu o apagão, prejudicando o abastecimento de água em vários bairros, visto que, mesmo com a energia restabelecida no dia seguinte, os procedimentos para voltar à normalidade no caso da água são demorados. Frente a esta situação atípica, os trabalhadores decidiram ainda no MASP encerrar a greve em consideração à população, consideração esta que a Sabesp não tem, colocando em risco o setor de saneamento quando demite trabalhadores experientes do setor. Mesmo em greve, os trabalhadores não prejudicaram o abastecimento. Por isso os trabalhadores continuam em estado de assembleia permanente e o Sintaema já está cobrando a reunião com a Sabesp para reverter e suspender as demissões. Até o fechamento desta edição a empresa não atendeu à solicitação da reunião. Embora nosso acordo não garanta 100% do efetivo no emprego devido à correlação de forças e o regime CLT, o Sintaema não concorda com o uso dos 2% pela empresa, que se aproveita disso para promover demissões com a alegação de reduzir custos. Tem muitas formas de a empresa reduzir custos sem ser através de demissões, conforme divulgamos na edição especial, por isso vamos continuar lutando. Vale ressaltar que o ato no MASP concentrou centenas de trabalhadores, bem como a assembleia que decidiu a greve, que reuniu companheiros de várias regiões do Estado e contou com o apoio do deputado estadual Zico Prado (PT), da assessoria do deputado estadual Raul Marcelo (PSOL), companheiros do Sindicato dos trabalhadores da USP, dos Metroviários, dos Condutores Municipais, dos Engenheiros e dos Servidores de Botucatu. Os trabalhadores estão de parabéns pela mobilização e união com que se lançaram contra as demissões, movimento que teve ampla cobertura da grande imprensa. É fundamental manter esse espírito combativo, pois a luta continua!

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo