SP: sindicatos protestam contra cobrança de IR em bônus

Publicado em 21/03/2012 00:00

Tamanho da fonte:

Terminou por volta das 10h desta quarta-feira a manifestação de sete sindicatos de bancários, metalúrgicos, químicos, petroleiros e eletricitários de São Paulo e do Grande ABC na rodovia Anchieta pedindo a isenção da cobrança de Imposto de Renda Pessoa Física (IRPF) na Participação nos Lucros e Resultados (PLR), conforme informações da assessora de imprensa do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Osasco e Região.

Os manifestantes se encontraram por volta das 7h30 na porta da fábrica da Mercedes-Benz, em São Bernardo, e foram para a avenida 31 de Março, onde encontraram os trabalhadores que estavam concentrados na Ford. Às 8h20, eles rumaram para a rodovia e fecharam parte da via, onde permaneceram até às 10h10. De acordo com a concessionária Ecovias, o local foi totalmente liberado às 10h58.

Segundo Juvandia Moreira, presidente do sindicato, eles pedem que não exista a cobrança para garantir mais dinheiro no bolso do trabalhador, aumento do consumo, da demanda e da geração de emprego, com consequente aquecimento da economia.

As centrais sindicais vão entregar nesta quarta ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, propostas de defesa do setor produtivo e de incentivo ao consumo e pedir a desoneração do imposto.

"Em São Paulo, só nas categorias dos bancários, metalúrgicos, químicos e petroleiros, é R$ 1,6 bilhão(que deixariam de ser recolhidos pelo IRPF caso não houvesse tributação sobre os PLR) . É bastante recurso que você injeta de uma vez na economia. No País, é muito mais. Quando você desonera o salário, o dinheiro imediatamente vai para economia", destacou o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Sérgio Nobre.

No dia 22 está prevista outra manifestação, com atraso da abertura das agências bancárias e departamentos dos centros administrativos da região da avenida Paulista, seguida de concentração em frente ao prédio do Banco Central (BC), localizado na mesma avenida no nº 1804, onde bancários, químicos, metalúrgicos, eletricitários e petroleiros vão realizar novo ato, diz a assessoria.

A isenção de imposto de renda na PLR está prevista em duas emendas de autoria dos deputados federais Vicentinho (PT-SP) e Paulo Pereira (PDT-SP) à Medida Provisória (MP) 556. De acordo com o sindicato, a MP pode ser votada a partir de 25 de março. "Se for aprovado no Congresso, só vale a partir do exercício seguinte. Agora, o Ministério da Fazenda, o governo pode adotar uma MP que faça essa desoneração valer já a partir deste ano", disse Moreira.

Reproduzido do Portal Terra com informações da Agência Brasil

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo