Situação em SBC é crítica

Publicado em 20/02/2006 00:00

Tamanho da fonte:

Desde quando assumiu serviços no município, Sabesp não fez contratações públicas e quem sofre com isso são os trabalhadores e a população. Não é de hoje que o Sintaema vem cobrando providências da Sabesp em relação ao município de São Bernardo do Campo quanto aos serviços prestados pela empresa, que estão muito aquém do desejado. A população está insatisfeita, o abastecimento é interrompido em diversos locais, vazamentos são reclamações constantes, não há trabalhadores o suficiente para atender a demanda, e os que têm, ficam sobrecarregados e levando a culpa pela falta de contratação de mão de obra e todos os investimentos necessários. Ao invés de promover concurso público (uma das maiores bandeiras do Sintaema empenhada ano passado) prefere terceirizar os serviços, que na maioria das vezes precisa ser refeito pelos trabalhadores sabespianos. As empresas terceirizadas não dão conta dos pedidos, não executam o trabalho com o profissionalismo e responsabilidade necessários, e o resultado é este que vemos: reclamações sobre os trabalhadores, que se desdobram para cumprir com seus deveres. Esta situação que já criticamos e protestamos em 2005 vem crescendo e ganhando os noticiários locais, como o Diário do Grande ABC, que publicou matérias em janeiro e fevereiro deste ano sobre os problemas. De acordo com as reportagens, em 2005 foram 55 mil pedidos de reparos e a Sabesp não consegue cumprir os prazos de atendimento. Frente a gravidade do problema, uma audiência pública para discutir os serviços da Sabesp será realizada no plenário da Câmara Municipal de SBC através da Comissão de de Fiscalização de Contratos e Convênios e representantes da Sabesp no dia 9 de março. O Sintaema, como defensor dos direitos dos trabalhadores e do saneamento público de qualidade, também estará presente nesta audiência. Vale ressaltar que o sindicato já entrou em contato com os vereadores de São Bernardo para explicar que a culpa destes transtornos não é dos trabalhadores, e sim da política de terceirização que vem sendo aplicada na Sabesp pelo Governo Alckmin.

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo