Plano de saúde

Publicado em 01/11/2012 00:00

Tamanho da fonte:

Companheiras e companheiros, a direção da Cetesb há algum tempo vem estudando a possibilidade de mudança do Plano de saúde, e os motivos alegados são:

• Sistema de auto-gestão: A CETESB é a única empresa do Estado de São Paulo que gerencia seu próprio plano;

• Embora tenha uma equipe no Setor de Benefícios que se desdobra para atender toda a demanda, não existem profissionais especializados, como, por exemplo, “Auditor Médico” para fiscalizar os procedimentos do Plano de saúde, bem como acompanhar as mudanças que estão
ocorrendo na normatização dos Planos pela ANS (Agência Nacional de Saúde);

• Imprevisibilidade dos gastos, uma vez que não se tem um valor fixo das despesas mensais;

• O funcionário, quando desligado da empresa, perde imediatamente o convênio, de modo a interromper o tratamento que estava em  andamento;

• No caso de falecimento do titular, os dependentes também perdem o convênio imediatamente;

Estes são alguns dos motivos para sugerirem a mudança do Plano. Portanto, o assunto é muito complexo, mexe com a vida de todos os trabalhadores e seus dependentes, portanto vamos acompanhar todo o processo para resguardar o bem estar e os direitos dos trabalhadores.
Dessa forma, foi criado um Grupo de Trabalho com representantes de todas as Diretorias, CRF, Sintaema e demais sindicatos, e no último dia 22 houve uma apresentação dos andamentos desse estudo para o CRF e representantes sindicais, apresentado pelo RH da empresa, que se
comprometeu a fazer a apresentação sede e no Interior.

Assédio Moral é crime
Alguns trabalhadores têm se queixado ao Sintaema sobre atitudes que caracterizam assédio moral na empresa. Vale ressaltar que a direção da Cetesb já está ciente e não compactua com tais atos. O sindicato vai averiguar os fatos e já avisa: se for comprovado o assédio, tomará as devidas providências.

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo