Obrigado Júlio Teixeira – O pássaro alçou voo para o céu e o livro

Publicado em 02/10/2013 00:00

Tamanho da fonte:

 om 81 primaveras, muitas flores e plantas cultivadas ao longo de sua nobre vida, faleceu o senhor Júlio Teixeira, mais conhecido por ‘Seo Júlio’, funcionário da Fundação Florestal e do viveiro de mudas do Instituto Florestal, situado no Horto Florestal, zona norte da capital paulista.

Desde 1949 trabalhando no setor florestal, por suas mãos foram semeados e plantados jacarandás, juçaras, ipês, jequitibás, canelas, jatobás e tantas outras espécies que foram povoando cidades interioranas e metropolitanas, como a capital paulista, além do que ainda resta de sertão e rincões por esse estado de São Paulo adentro.

É nestas árvores, que ajudam a produzir água para todos, que encontram abrigo e alimento nossos mamíferos, répteis, aves; além de borboletas, abelhas, joaninhas, marimbondos, grilos, cigarras e uma infinidade de insetos.

Por suas mãos alguns de nós tomou um chazinho para melhorar a saúde e promover a cura da doença, pois detinha sabedoria na identificação, cultivo, preparação e utilização adequada das plantas e ervas medicinais.

É nestes chás que encontramos de forma mais singela e pura seu conhecimento tradicional trazido na memória viva como herança da cultura caipira herdada de seus antepassados.

O pequeno “Grande Homem”, “mateiro e matuto”, foi um livro aberto que transpirava vida e conhecimento, através das palavras e ensinamentos, que ajudou na formação prática, mas também teórica, de técnicos, biólogos, ecólogos, agrônomos e tantos outros profissionais que trabalham ou atuam na área ambiental.

Um dia me disse que aprendeu muito com os engenheiros, mas as plantas e a terra lhe diziam mais.

Sua perda é irreparável para sua família, aos funcionários do Instituto e Fundação Florestal e principalmente para toda sociedade.

Sem dúvida, este personagem que fez história merece da sociedade uma infinita e sonora salva de palmas, acompanhada de um coral de muitas aves, que sem dúvida são gratas por todas as árvores que o pequeno “Grande Homem” plantou no chão do planeta terra.

`Seo’ Júlio, o pássaro, alçou voo para o céu e o livro …

Atenciosamente

Hilton Marioni e diretoria do Sintaema

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo