Não à terceirização do Meio Ambiente

Publicado em 10/09/2007 00:00

Tamanho da fonte:

Durante a inauguração do Parque Estadual do Itinguçu e apresentação da ampliação das bases de fiscalização na Juréia, em 24 de agosto, onde o Sintaema esteve presente, o Secretário do Meio Ambiente Xico Graziano afirmou que as vagas resultantes desta ampliação serão preenchidas por trabalhadores terceirizados (vigilantes patrimoniais) e que inclusive a contratação de 18 deles já está em andamento. O Sintaema é contra a terceirização, contra o desmonte da ação do Estado na Fundação Florestal, visto que fragiliza e precariza o setor e as relações trabalhistas. Repassar as atividades ambientais à iniciativa privada, que só visa lucro, é renegar o clamor humano pela preservação da fauna e flora, pela exuberante biodiversidade, ímpar na mata atlântica. Os profissionais da área ambiental têm e transmitem consciência ecológica, e não por imposição da função, como acontece muitas vezes com terceirizados. E é essa convicção que permeia a atividade do ambientalista e daqueles que procuram a área para trabalhar. Exemplo claro disso é o próprio quadro funcional da Fundação, com trabalhadores que atuam hoje sem o devido reconhecimento profissional, sem perspectivas, aumento real ou mesmo um acordo assinado onde estejam preservados os benefícios conquistados. O Sintaema sempre estará presente na luta pela melhoria das condições desses trabalhadores e contra a terceirização do setor, denunciando os malefícios desse modelo entreguista ao conjunto da população e exigindo Concurso Público JÁ!

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo