Na luta pelos aposentados da ativa

Publicado em 27/02/2005 00:00

Tamanho da fonte:

Dando continuidade a nossa batalha contra o processo de demissão dos aposentados na ativa da Cetesb, o Sintaema, o CRF e demais entidades se reuniram no último dia 24 com estes companheiros para traçar estratégias de luta. Na oportunidade foi constituída uma comissão de aposentados, a qual foi recebida juntamente com o Sintaema e demais entidades de representação em audiência pelo Presidente da Cetesb – Rubens Lara e o Diretor de Gestão Corporativa – Alaor Lineu Ferreira, na mesma data. A posição do presidente foi a mesma das reuniões anteriores, ou seja, ratificou a intenção de demitir os companheiros, embasado na demanda da Promotoria de Justiça da Cidadania do Ministério Público. Mais uma vez expusemos nossas preocupações e ponderamos sobre a importância dos serviços prestados por estes trabalhadores na Cetesb e o prejuízo em relação às atividades desenvolvidas na Companhia caso as demissões sejam efetivadas. A comissão também se propôs a buscar outras alternativas jurídicas para resolver este problema. O Presidente da Cetesb, por sua vez, informou que, se houver algum outro caminho, está diposto a discuti-lo. Disse ainda que aguarda um parecer da Procuradoria Geral do Estado sobre o assunto, cujo conteúdo será plenamente acatado. Frente a isto, a Comissão de aposentados vai elaborar um documento para subsidiar a defesa que será enviada ao Ministério Público apontando os prejuízos à Sociedade e ao Meio Ambiente com a demissão de trabalhadores experientes e a possível substituição por outros empregados que não seriam devidamente treinados em tempo hábil. Paralelamente, o Sintaema está fazendo gestões junto aos parlamentares e outras instâncias, sendo que os deputados estaduais Nivaldo Santana (PCdoB) e Zico Prado (PT) já se colocaram à disposição dos trabalhadores para este pleito. Não desistiremos de lutar por estes companheiros que dedicam sua vida à defesa e preservação do Meio Ambiente, contribuindo na melhoria da qualidade de vida da população paulista.

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo