Governo estadual ataca aposentados novamente

Publicado em 14/02/2005 00:00

Tamanho da fonte:

No dia 4 de janeiro o presidente da Cetesb, Rubens Lara, realizou uma reunião com o Sintaema e demais entidades representativas dos trabalhadores para dar uma notícia-bomba: a demissão gradual dos 294 aposentados que estão na ativa, sendo que os primeiros seriam os aposentados com regime especial, sendo que 10 foram desligados neste mesmo dia. Tal medida advém de uma representação do Ministério Público da Cidadania, que acatou denúncia de que a Cetesb estaria praticando uma ilegalidade mantendo aposentados na ativa. Diante do fato o Sintaema se reuniu novamente com o presidente da Cetesb no dia 24 de janeiro para expor sua preocupação com os companheiros, o impacto de tal medida na vida dos aposentados, e também a conseqüência de tal medida, como a terceirização dos serviços, tendo como exemplo a Sabesp. O presidente alertou que não poderia adiantar muitas informações, mas que tentaria tratar do processo da forma menos traumática possível. Quanto à terceirização, Lara afirmou que as vagas serão todas repostas através da lista de espera e da realização de novo concurso, e que portanto estaria totalmente descartada a hipótese de terceirizar qualquer serviço. Esta resposta não nos satisfez, visto que estes companheiros fizeram a história da Cetesb, são possuidores de alta capacitação e experiência técnica, profissionais que dedicaram sua vida pela preservação do Meio Ambiente. O quadro funcional já é defasado, e com as demissões ficará ainda mais deficitário de recursos humanos, com impacto inclusive na qualidade dos serviços, visto que hoje os companheiros da Cetesb já se desdobram para atender as demandas ambientais, cada vez mais crescentes. Sintaema reuniu aposentados da Cetesb Para expor a situação e definir encaminhamentos, o Sintaema realizou no último dia 2 em sua sede, uma reunião com os aposentados e com representantes do Sintius, Sindicato dos Engenheiros, Associação dos Aposentados, CRF, e ASEC, com a participação de cerca de 100 companheiros, tanto da Capital como Interior . Os aposentados externaram a decepção, suas angústias e insegurança diante de tal procedimento, visto que foram pegos de surpresa e têm compromissos assumidos, ou seja, uma falta de respeito Tudo isto faz parte da política do governo estadual, que já tem esta intenção há muito tempo, visto que em outras empresas já está ocorrendo o mesmo. O próprio presidente da Cetesb informou na reunião que já pretendia demitir os aposentados, era um de seus objetivos ao iniciar a gestão. O Ministério Público apenas acelerou o processo, e exigiu inclusive que o processo de desligamento total dos aposentados seja concluído ainda neste semestre, segundo Lara. . As empresas estão sendo descaracterizadas, quando não privatizadas. Não há políticas eficientes, as estatais não recebem investimentos suficientes, cresce a terceirização e os profissionais não recebem o devido reconhecimento. Com as contribuições dos aposentados, do Sintaema e todas as entidades presentes, foram apresentadas propostas, as quais levaremos adiante com muita luta e determinação: • Marcar nova audiência com o presidente da Cetesb, com a presença de todos os aposentados ; • Contatar o Ministério Público do Meio Ambiente, no sentido de expor a defasagem técnica que tal medida poderá causar, comprometendo a qualidade dos serviços prestados; • Fazer gestões no parlamento; • Aplicar medidas jurídicas cabíveis. Em que pese a desestruturação do emprego que atinge milhares de pessoas, não podemos concordar com decisões intempestivas, que só prejudicam aqueles que precisam continuar trabalhando, mesmo depois de aposentados, para sobreviver.

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo