Governo anuncia multa para quem aumentar consumo de água em SP

Publicado em 18/12/2014 00:00

Tamanho da fonte:

Do Portal G1

O governo de São Paulo irá aplicar multa, a partir de 1º de janeiro, para quem aumentar o consumo de água em São Paulo. Quem aumentar em até 20% vai pagar 20% a mais; já quem gastar mais que 20% vai ter aumento de 50%, anunciou o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), na tarde desta quinta-feira (18).
O percentual será calculado com base na média de fevereiro de 2013 até janeiro de 2014. A média já aparece na conta dos consumidores. A meta do governo é reduzir 2,5 metros cúbicos por segundo de consumo. Alckmin negou que a medida seja uma multa ao consumidor. Ele define o ônus como "tarifa de contingência".

Outras medidas
O governo de São Paulo anunciou também outras medidas para conter a crise. Entre elas, a distribuição gratuita de "kit economizador de água". Serão entregues dispositivos para serem instalados em torneiras e reduzir a saída do fluxo de água. O kit será entregue a todos os clientes da região metropolitana. Equipes da Sabesp que fazem leitura da conta da água farão as distribuições.
A Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arcesp) fará a distribuição de caixas de água para clientes com renda familiar de até três salários, em área de vulnerabilidade social, que tem problemas de falta de água. A idéia é permitir que tenham reserva de 24 horas. "Já foram identificados 10 mil clientes", disse Alckmin. Serão caixas de 500 litros ao custo para a agência de R$ 120 a unidade.
Apesar das novas medidas, o governador disse que não irá decretar racionamento. Segundo o tucano, a Arcesp já aprovou a tarifa de contingência. "Tomamos todas as outras medidas anteriores. Estamos frente à maior seca do século", afirmou Alckmin.
Novo secretário
A medida acontece uma semana após o governador trocar o secretário de Saneamento e Recursos Hídricos para sua próxima gestão. Mauro Arce será substituído por Benedito Braga, que presidente do Conselho Mundial da Água.Outras medidas
O governo de São Paulo anunciou também outras medidas para conter a crise. Entre elas, a distribuição gratuita de "kit economizador de água". Serão entregues dispositivos para serem instalados em torneiras e reduzir a saída do fluxo de água. O kit será entregue a todos os clientes da região metropolitana. Equipes da Sabesp que fazem leitura da conta da água farão as distribuições.
A Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arcesp) fará a distribuição de caixas de água para clientes com renda familiar de até três salários, em área de vulnerabilidade social, que tem problemas de falta de água. A idéia é permitir que tenham reserva de 24 horas. "Já foram identificados 10 mil clientes", disse Alckmin. Serão caixas de 500 litros ao custo para a agência de R$ 120 a unidade.
Apesar das novas medidas, o governador disse que não irá decretar racionamento. Segundo o tucano, a Arcesp já aprovou a tarifa de contingência. "Tomamos todas as outras medidas anteriores. Estamos frente à maior seca do século", afirmou Alckmin.

Novo secretário

A medida acontece uma semana após o governador trocar o secretário de Saneamento e Recursos Hídricos para sua próxima gestão. Mauro Arce será substituído por Benedito Braga, que presidente do Conselho Mundial da Água.
Braga disse que é necessário investir em conscientização da população. "Temos que ficar em soluções de curto e médio prazo. E, principalmente, para falar no longo prazo. Vou me preocupar, também, com o que vai acontecer nos próximos 30 anos", afirmou.
Braga disse que é necessário investir em conscientização da população. "Temos que ficar em soluções de curto e médio prazo. E, principalmente, para falar no longo prazo. Vou me preocupar, também, com o que vai acontecer nos próximos 30 anos", afirmou.lta para quem aumentar consumo de água em SP.
Fonte: Portal G1

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo