Frustração geral

Publicado em 18/03/2013 00:00

Tamanho da fonte:

 Por diversos motivos os trabalhadores da Cetesb não acreditam mais no plano. Na avaliação do Sintaema e CRF, é preciso revisá-lo o quanto antes.

Após quase cinco anos da sua implantação, o tão ansiado plano de carreira da CETESB tornou-se um pacote de maldades, pois não atende as expectativas dos trabalhadores, ao contrário, frustra um sonho antigo dos cetesbianos em ter ascensão na carreira.

Durante todo o ano de 2012 a direção da CETESB disse que faria a movimentação, porém em outubro alegou que não havia verbas para esse fim, fato este que desapontou de forma estrondosa os trabalhadores. O Sintaema e CRF cobraram providências da direção,
fizeram protestos, mas a CETESB não ouviu as entidades e não executou a movimentação.

Ou seja, é uma incoerência, e pior, está respaldada pelo artigo 17 do Instrumento Normativo do plano, que condiciona a evolução à prévia aprovação do Codec, à existência de vagas e disponibilidade financeira provisionada no orçamento anual.

Perguntamos: por que a Cetesb não provisionou esta verba? E se o fez, para quem fim foi usada? São perguntas que não calam e cobraremos respostas.

Não bastasse essa desastrosa administração do plano, o mesmo contém ferramentas que o engessam, pois muitos não puderam fazer a prova para evolução profissional em fevereiro último justamente por não terem sido promovidos devido a não aplicação do plano em 2012. Além disso, o plano também está sendo usado de forma equivocada, visto que se o trabalhador não atingir determinada pontuação isso pode caracterizá-lo como não apto para o perfil da empresa. Ou seja, o plano pode ser um instrumento de demissão.

A verdade é que o plano está desacreditado, não há mais esperanças nos cetesbianos, como havia à época da implantação, tanto que a abstenção foi muito significativa na prova de evolução profissional. 

E as contradições não param: a Cetesb realizou uma reestruturação a nível gerencial, gerando promoções de vulto, além de aumentar consideravelmente os cargos de assistentes executivos e assessores em todas as diretorias. Para isso a empresa tem verba suficiente!

Outro fato contraditório foi a autorização do governo em 2012 para a contratação de trabalhadores para repor o quadro de funcionários, porém, sem o devido repasse de verba para honrar estas novas contratações. Essas contratações refletem a falta de perspectivas de
carreira, e bons profissionais não estão ficando na empresa, gerando alta rotatividade, chegando ao ponto de se ter chamado todos os aprovados em concurso para preencher as vagas.

Frente a esse cenário desolador é preciso rever o plano de carreira e cobrar do governo uma política de RH decente para que os cetesbianos tenham o devido reconhecimento profissional e financeiro que tanto merecem.

Plano de Saúde


Desde 2012 que o plano de saúde vem sendo abordado pela comissão com a participação do Sintaema e do CRF formada para este fim. Para acompanhar os trabalhos da comissão o Sintaema contratou um perito, que demonstra abaixo as vantagens e desvantagens de cada plano para que a decisão seja tomada da melhor forma possível no sentido de que os trabalhadores não percam a qualidade no plano médico.

O Sintaema, demais sindicatos, CRF e Fenatema estão acompanhando as reuniões promovidas pela CETESB e em breve submeterá para a avaliação e a possível aprovação.


Plano de autogestão (modelo atual da cetesb)

VANTAGENS
• Rede credenciada criada de acordo com a população da Cetesb.
• O padrão de acomodação atual é Apartamento.
• Menor burocracia na liberação de procedimentos.
• Possibilidade de credenciamento de novos prestadores de acordo com a vontade da empresa e colaboradores.

DESVANTAGENS

• Coparticipação elevada, que incide sobre consultas, exames e procedimentos cirúrgicos, entre outros, o que pode inviabilizar o pagamento por parte dos colaboradores que, por exemplo, fiquem internados por alguns dias.
• O plano não é oferecido após o desligamento do funcionário da empresa.
• O plano não é oferecido após a aposentadoria.

Plano privado de assistência à saúde (modelo em estudo pela cetesb)

VANTAGENS
• Plano é oferecido a funcionários aposentados de acordo com a lei.
• Plano é oferecido aos funcionários desligados de acordo com a lei (6 meses a 2 anos).
• Coparticipação somente sobre exames e consultas.

DESVANTAGENS
• Possui finalidade lucrativa o que pode aumentar o custo do plano. 
• Pouca flexibilidade na escolha e adequação da rede redenciada. 
• O padrão de acomodação inicial oferecido aos trabalhadores será ENFERMARIA

Práticas anti-sindicais
O Sintaema e o CRF repudiam as demissões de dois delegados sindicais, pois o não reconhecimento da figura do delegado pela CETESB mostra que a direção da empresa não considera a luta dos trabalhadores. Vamos nos empenhar para mudar isso na campanha salarial deste ano, nossos delegados não podem ficar à mercê do descaso da empresa.


Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo