A Vale é Nossa!

Publicado em 10/09/2007 00:00

Tamanho da fonte:

Mobilização De 1º a 7 de setembro a categoria participou do plebiscito popular pela nulidade do leilão da Companhia Vale do Rio Doce e sua retomada pelo poder público. A Vale foi privatizada em 1997 em um leilão fraudulento, contestado por diversas autoridades, uma verdadeira entrega da Vale à iniciativa privada. O Sintaema passou as urnas em várias áreas, com excelente adesão dos trabalhadores, e também foi um dos locais de votação. O plebiscito foi promovido pelo Comitê Nacional Pela Anulação do Leilão da Vale, formado por várias entidades e movimentos populares. Este é o 3º plebiscito em que o Sintaema participa. O primeiro foi em 2000, sobre a dívida pública, depois o da Alca, em 2002 e agora sobre a nulidade do leilão da Vale. Histórico da privatização A Companhia Vale do Rio Doce – CDVR – foi criada em 1º de junho de 1942, é a segunda maior empresa brasileira, depois da Petrobras. É estrategicamente decisiva para o futuro do País. Atua em 14 Estados do Brasil e possui 9 mil quilômetros de estrada de ferro. É proprietária de 10 portos e está presente nos cinco continentes. Detem importantes e estratégicas jazidas de minérios, como nióbio, urânio, ouro e manganês. Alguns destes minérios possuem reservas somente em solo brasileiro. Líder de minério no mercado de ferro, a CRVD é a segunda maior produtora de manganês e ferroligas. Comercializa seus produtos para indústrias siderúrgicas do mundo inteiro. Esta é a VALE! Uma empresa de economia mista e seus lucros serviam para o conjunto do povo brasileiro. Hoje, é privada e seus lucros são capital estrangeiro. Foi contra os interesses do povo brasileiro, dos movimentos sociais e sindicatos que a Vale foi privatizada, em maio de 1997, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso. Foi vendida por R$ 3,3 bilhões. Esta quantia é menor do que a Vale tem de lucro a cada três meses. Apenas no 2º trimestre de 2005, o seu lucro foi de 3,5 bilhões de dólares.

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo