Sabesp | Negociação trouxe avanços, mas proposta ainda é insuficiente!

Publicado em 27/04/2021

Tamanho da fonte:

O Sintaema e demais sindicatos se reuniram virtualmente com representantes da Sabesp na tarde de hoje para a 3ª rodada de negociação da campanha salarial dos trabalhadores.

Inicialmente a empresa fez uma apresentação da sua situação econômico-financeira, com números sobre o financiamento sustentável de investimentos, mostrando lucros, dívidas e investimentos, e os reflexos dos acontecimentos do país sobre esses números.

Devido à pandemia, a Sabesp disse que houve um aumento de consumo de água nas residências, mas que, porém, com a tarifa média menor e a inadimplência devido à crise econômica houve uma queda na receita da Companhia em 2020, e com isso a empresa teve que tomar uma série de medidas para reduzir os prejuízos e obter lucro, ainda que menor do que os anos anteriores.

Propostas

A Sabesp informou que as cláusulas de ordem econômica serão discutidas na próxima negociação porque ainda depende de uma reunião interna, e apresentou três pontos:

– PPP digital

Devido ao processo complexo, os trabalhadores reclamam da demora na entrega do PPP. A proposta da Sabesp é implantar o PPP digital no qual o próprio trabalhador vai fazer a solicitação, o que vai agilizar a entrega do perfil através do computador ou por celular. A previsão é de implantar em maio próximo.

– Lavagem de uniformes

A Sabesp apresentou um histórico desde 1992, quando a empresa forneceu o kit de lavagem, e depois pelo cumprimento de leis, inclusive com a reivindicação do Sintaema em 2018.

Frente à pandemia, a proposta agora é fazer a locação e desinfecção de todos os uniformes. Com a locação o trabalhador terá 5 ou 6 uniformes disponíveis na Sabesp e 5 ou 6 na lavanderia contratada. Serão 11 peças por trabalhador para que ele possa fazer a troca diária e assim reduzir os riscos de contaminação.

Serão abrangidos os trabalhadores da Operação, Elétrica e Laboratório, porém ainda não há uma data para implantação porque a empresa vai iniciar o processo licitatório com vistas à implantação no segundo semestre. 

-Teletrabalho

Existe um piloto da Sabesp de teletrabalho e que tem dado bons resultados, segundo a pesquisa da empresa, com aumento de qualidade de vida dos trabalhadores também da produtividade.

Para melhorar as condições do trabalho em casa a proposta da empresa é que o empregado possa retirar sua cadeira utilizada na empresa, basta assinar um termo de responsabilidade.

Frente aos pontos apresentados, o presidente do Sintaema, José Faggian, disse que a agilidade na entrega do PPP é uma antiga reivindicação do sindicato e que o quanto antes for implantado é melhor devido a demanda que existe.

Na questão dos uniformes, Faggian lembrou que a lavagem dos uniformes pela empresa também é uma reivindicação antiga do sindicato, portanto é muito bem-vinda, principalmente agora com a pandemia.

Sobre o teletrabalho, o presidente do sindicato concorda que é um avanço que parte do mobiliário seja cedido pela Sabesp, mas que ainda é pouco.

Faggian também expôs sua preocupação no sentido de que a empresa tenha regras para que o trabalhador não fique disponível em tempo integral no teletrabalho, que seus horários sejam respeitados, no que a Sabesp informou que o trabalho em casa é feito dentro da jornada de cada trabalhador.

Embora os itens econômicos sejam discutidos na próxima, Faggian ressaltou nesta negociação a necessidade de repor a inflação, principalmente nos vales-alimentação e vale-refeição.

Outros pontos foram reforçados pelo sindicato, como ter um representante dos sindicatos no Conselho de Administração da Sabesp,e a criação de condições mais favoráveis para os trabalhadores que dirigem para a empresa e têm carteiras C, D e E poderem pagar os exames exigidos pela nova legislação de trânsito.

Por último, o Sintaema pediu que a Sabesp redobre o empenho para conseguir a prioridade dos trabalhadores na vacinação, assim como o sindicato vem fazendo e colocou como principal luta no momento.

Live informativa

Na live realizada no início desta noite, com ótima participação dos trabalhadores, o presidente Faggian informou sobre o resultado da terceira negociação, e expôs outras questões importantes para a categoria.

Foi atualizado o atual contexto de crise sanitária econômica no país devido à ausência de uma política de vacinas, o que gera instabilidade na campanha salarial, e apontou os desafios e avanços dentro desses 13 meses de pandemia.

A principal luta do momento é pela inclusão da categoria na prioridade da vacinação, com gestões junto a parlamentares.

Risco de privatização

O presidente Faggian lembrou o histórico de lutas contra a privatização das empresas públicas de saneamento, em especial da Sabesp, inclusive com a aprovação do projeto de lei do novo marco regulatório.

Para o novo marco ser implantando, todos o Estados precisam criar áreas de saneamento (PL 251/21), e segundo o Observatório Ondas, do qual o Sintaema faz parte, é preciso tirar a urgência dessa tramitação para que as entidades possam debater melhor, inclusive com audiências públicas.

Informes jurídicos

1 – O Departamento Jurídico deu importantes informes sobre ações, como a do Plano de Cargos e Salários, e que para tanto o trabalhador precisa apresentar as últimas avaliações, número do processo que ele tenha fora do sindicato e atualização da carteira de trabalho.

2 – Devido à pandemia do covid-19, o Sintaema ingressará com uma ação coletiva para insalubridade

3 – E sobre a ação de 2014 da correção do FGTS, estão na ação os trabalhadores sindicalizados, e a ADIN que está no Supremo Tribunal Federal sobre este caso será julgada no dia 13 de maio e que abrange todos os trabalhadores.

Informes sobre o Dia do Trabalhador – 1º de Maio

O presidente da CTB-SP, Rene Vicente informou sobre o calendário de atividades no 1º de Maio:

30 de abril: Live das centrais sindicais do Estado, das 17h às 19h.

Dia 1º de Maio: carreatas das 9h às 12h, e das 14h às 17h uma live nacional das centrais com os principais eixos de luta: vacina já, fila única do SUS e seu fortalecimento, volta do auxílio emergencial de R$ 600,00, em defesa do emprego, contra a reforma administrativa pela PEC 32, contra a privatização das empresas públicas e defesa do saneamento público, em defesa das liberdades democráticas e um grande “Fora Bolsonaro”, o responsável pelas milhares de mortes por falta de vacinas.

Todos juntos na luta! Nenhum direito a menos, vacina já!

Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo