Liminar da AAPS prejudica milhares de trabalhadores da ativa na SABESPREV

Publicado em 08/09/2016 18:19

Tamanho da fonte:

A AAPS (Associação dos Aposentados da Sabesp) conseguiu no dia 1º de setembro uma liminar proibindo que os trabalhadores que migraram do plano Sabesprev BD para o plano Sabesprev Mais levem a parte do capital que foi depositado pela empresa, e sim que levem apenas o dinheiro correspondente às suas próprias contribuições.

destaque_sintaema_aaps_prejudica_milhares_de_trabalhadores_da_ativa_sabesprev_08_09_2016

Sob o pretexto de preservar o direito dos seus associados, a AAPS quer lesar o direito dos mais de 3.600 trabalhadores que optaram pela migração de um plano para o outro no fim do mês passado depois de um longo e exaustivo processo, e que ainda tinha a possibilidade de se resolver pela via judicial através da ação que corre em segunda instância e que cobra que a Sabesp pague o déficit atuarial na sua totalidade.  

Diante desta situação, Sintaema,  Sintius,  APU e o Sindicato dos Engenheiros se reuniram hoje (8) para discutir uma estratégia comum no sentido de preservar o direito dos trabalhadores e garantir que a Sabesprev entregue o que foi assinado durante o processo de migração.

Participou da reunião, também, o consultor especialista em direito previdenciário Keyton Pedreira, que foi autorizado pelas entidades a iniciar a construção de uma defesa jurídica para derrubar a liminar. As entidades procurarão demonstrar ao Juiz que concedeu a liminar que, ao invés de garantir o direito dos aposentados ela na verdade prejudica os trabalhadores da ativa e até beneficia a empresa.

O Sintaema sempre esteve ao lado da AAPS em lutas importantes para os aposentados como, por exemplo, a tentativa de construir um plano de saúde mais justo para os companheiros, e até ajudando a barrar aumentos abusivos nos atuais planos. Porém, quando atitudes como essa são tomadas, que prejudicam o conjunto dos trabalhadores da ativa, cria-se um constrangimento e, inclusive, atrapalha futuras ações que poderíamos realizar em conjunto.

O Sintaema espera que a AAPS reveja sua posição e abra mão da liminar, afinal de contas quem tem que pagar essa fatura não são os trabalhadores da ativa!

Juntos na Luta!
Compartilhe agora com seus amigos
TwitterFacebookWhatsApp

Voltar ao Topo